Categorias
Blog Textos

A regra dos 85%

Recentemente, ouvindo um podcast, uma história foi contada que transformou como eu mudei o ritmo da minha vida.

Era um episódio do The Tim Ferris Show em que Hugh Jackman era o convidado e estava falando sobre um treinador que era fascinado por Carl Lewis, lendário atleta que ganhou nove medalhas olímpicas. O treinador não conseguia entender como que o atleta sempre estava em último ou penúltimo nos primeiros 40 metros de uma prova de 100 metros e de repente ele dava um sprint que o levava a vitória na chegada.

Algumas pessoas achavam que Carl era apenas ruim de largadas e acabava se recuperando na parte final da pista mas o treinador resolveu assistir as provas de um ângulo diferente e descobriu que esse não era o caso de Carl. O ator então contou:

O que ele percebeu é que o Carl não fazia nada de diferente. Entre os 25 e 60 metros a respiração dele era a mesma, os movimentos físicos também. Enquanto os outros competidores começam a forçar no final dando aquele “gás extra”, suas expressões se curvavam, a mandíbula apertava, os pulsos faziam força… E Carl Lewis estava exatamente com o mesmo movimento corporal desde o princípio, os passando no final e chegando na frente.

Essa estratégia, o ator descreveu, ficou conhecida como a regra do 85%. Como um excesso de trabalho crônico, eu venho usando essa regra para desempenhar melhor o trabalho, ser mais criativo e ter mais tempo para relaxar.

O truque é trabalhar a uma capacidade de 85%. É desafiador tentar diminuir um pouco o ritmo para se manter estável, especialmente com tantas dificuldades em trabalhos precários. Mas ir a todo o vapor sempre, incrivelmente, trabalha contra você. Quando sua mente está mais relaxada você produz melhor e tem melhores resultados.

Tente chegar aos 85% identificando o que é essencial para a sua vida colocando de lado aquilo que você consegue resolver sem criar dificuldades. Recuse convites que não vão agregar a qualidade do seu tempo, tire descansos durante o dia ou na sua carreira. Ache maneiras de diminuir o ritmo, sem diminuir a produtividade.

Quando você começar a trabalhar nos 85% você verá que a sua produtividade melhorará e provavelmente sentirá orgulho do trabalho desenvolvido.


Artigo original, em inglês, no Forge. Fotaça do Gilbert Iundt; Dimitri Iundt/Contributor/Getty Images.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *